Appa inicia programa de educação ambiental nos portos de Paranaguá

Pela primeira vez, a ação é realizada com os trabalhadores das dragas utilizadas na obra. Começou ontem (22), pela draga chinesa Xin Hai Niu, e, hoje (23), chega aos nove tripulantes da embarcação brasileira Sucuri.

Enquanto faziam o trajeto entre o Porto de Paranaguá e a área de despejo delimitada pelos órgãos ambientais, os 37 tripulantes da draga Xin Hai Niu participaram do primeiro encontro de Educação Ambiental da atual campanha de dragagem.
Ao todo, 31 chineses e seis brasileiros receberam informações sobre o Porto de Paranaguá e o entorno.

Dividido em cinco módulos, o programa vai trabalhar com os tripulantes este mês e o próximo. Em março, será realizado com a comunidade local para, em seguida, retornar à draga

“A questão ambiental é uma das prioridades do nosso governo. Esta deve andar ao lado do desenvolvimento econômico. Em virtude disso autorizamos a Appa a realizar os investimentos necessários para desenvolver este trabalho educacional para melhor atender as exigências ambientais”, afirma o governador Beto Richa.

Este primeiro encontro tratou de dois módulos: Meio Ambiente e Sociedade. Em seguida, os módulos que serão abordados com os tripulantes da draga serão sobre os impactos da atividade, saúde e segurança no trabalho e, por fim, gestão de resíduos.

“Com este programa, estamos atendendo às exigências dos órgãos ambientais. Essas ações seguem um Plano de Controle Ambiental, aprovado pelo Ibama, e estão sendo aplicadas pela empresa contratada para a obra de dragagem. Estamos assumindo a nossa responsabilidade de não apenas garantir a segurança da navegação, mas, também, uma responsabilidade social”, afirma o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

Ao todo foram duas palestras: uma pela manhã, com trabalhadores de dois turnos, e outra no início da tarde. Segundo o comandante da draga chinesa, Gu Zhangming, a equipe da embarcação tem seu próprio plano de controle ambiental.
“Em todos os portos pelos quais passamos, trabalhamos com atenção ao meio ambiente. Nossa tripulação sabe que o Porto de Paranaguá é um dos mais importantes do Brasil, portanto essas informações que recebemos hoje só vêm a complementar o nosso conhecimento, a nossa experiência. Por isso, é importante, sim”, afirma.

Dragagem - A draga chinesa Xin Hai Niu está trabalhando no Porto de Paranaguá desde o final de novembro. Nesta primeira fase, vai dragar 1,3 milhão de metros cúbicos de sedimentos, em áreas compreendendo a bacia de evolução (áreas Charlie 1 e 3) e os berços (Charlie 2). Além destas áreas, serão dragados ainda os canais de acesso ao Porto de Paranaguá e ao Porto de Antonina. A obra custará R$ 115 milhões e será paga com recursos próprios da Appa.

Antes, durante e depois da dragagem estão sendo feitos diversos monitoramentos ambientais: monitoramento da atividade pesqueira, da biota (conjunto de seres vivos, nesse caso, marinhos), da qualidade das águas, da turbidez da água, da área de despejo dos sedimentos (rip-rap), da qualidade dos sedimentos, do volume dragado, da dispersão da pluma dos sedimentos e da gestão ambiental da draga.

Fonte: Assessoria de Comunicação